sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A Linha da Bola



Preconceito ou desinteresse? Por que existem tão poucas autoras (com livros publicados e não apenas textos em jornais ou revistas) no imenso universo da literatura esportiva brasileira?

Resposta complicada. A realidade é que em 2007, uma jovem apaixonada pelo futebol conseguiu ser publicada com uma obra aparentemente despretensiosa. Trata-se de Clara Albuquerque e o seu “A Linha da Bola” (Editora Gryphus). O subtítulo do livro diz tudo: “Tudo que as mulheres precisam saber sobre o futebol e os homens nunca souberam explicar!”.

E a sinopse divulgada pela editora complementa: “Na publicação – um guia para mulheres (e homens!) que ajuda a entender as minúcias desta paixão nacional –, a autora trata o assunto com muito bom humor e descontração, driblando o preconceito e provando que as chuteiras podem dar lugar ao salto alto.

Todos os 11 capítulos são subdivididos em “Pretinho Básico”, “Esporte Fino” e “Passeio Completo”, termos através dos quais Clara discorre sobre informações do universo futebolístico como a história do esporte, número de jogadores em cada time, modelos de uniformes, esquemas táticos, posições, principais técnicos e jogadores da história, incluindo breves biografias, clubes em que jogaram e número de gols.”

Literatura na Arquibancada destaca abaixo textos assinados por três feras do jornalismo esportivo brasileiro: Marcelo Duarte, Glenda Kozlowski e Vanessa Riche.

Orelhas
Por Marcelo Duarte

Sou mesmo um cara de sorte. Minha mulher adora ver mesa-redonda e ouvir aqueles programas que antecedem as transmissões esportivas. Não, ela não é tão louca por futebol assim. Na verdade, ela se diverte com as discussões intermináveis, com os palpites nada científicos dos comentaristas, com os bate-bocas entre apresentadores e repórteres. A única coisa que minha mulher lamenta é não entender um pouco mais sobre o jogo para sentir o que me faz ficar grudado na TV e no rádio todos os finais de semana. Tem hora que é tanto “futebolês” que ela até pede uma ajuda. Que negócio é esse de 5-3-2?!?

Por isso é que “A Linha da Bola”, de Clara Albuquerque, chega em boa hora. Primeiro, porque a autora confirma o que eu já sabia há algum tempo: uma mulher assim não tem preço. Depois, porque o livro é perfeito para mulheres que querem conhecer mais sobre futebol, mas que não estão a fim de ler enciclopédias ludopédicas – calma, benzinho, eu explico: tinha gente que não gostava do anglicismo “futebol” e brigava pelo uso da expressão “ludopédio”, uma mistura do latim ludo (jogo) e pedes (pés).

Outro ponto forte de “A Linha da Bola” é não colocar todas as mulheres no mesmo time. Sim, existem aquelas que não sabem nada, aquelas que entendem um pouquinho e aquelas que querem saber mais. Todas elas são contempladas com os textos divertidos de Clara. Ela explica que, por mais bonito que seja o jogador, a torcedora não deve nunca se referir a ele como “gato”. Gato, em futebol, é outra coisa...

O único perigo é que, ao acabarem de ler este livro, as mulheres exigirão uma contrapartida. Tenho certeza disso. Aí, rapaz, você será obrigado a aprender também que “salto alto” não é apenas uma expressão futebolística. É bom você se acostumar com expressões como escapin e salto anabela. Elas vão querer nos levar também para uma tarde numa loja de sapatos. Ah, elas merecem!

Prefácio
Por Glenda Kozlowski

Futebol. Uma paixão? Uma religião? Um caos? Um grande amor? Um (a) amante? Um caminho? Um emprego? Um esporte? Ele pode ser tudo isso ao mesmo tempo. Ou nada disso pra quem, apenas, enxerga um monte de gente correndo atrás da bola. Com um cara insuportável que para o jogo sempre quando o bicho pega. Na hora da pancadaria, ou então, quando o cara vai botar a bola lá na rede! Pra quem vê e não entende os códigos que estão em campo, tá na hora de experimentar a maior de todas as emoções. Não precisa ter vergonha. Basta assumir: não entendo! O seu mundo vai mudar.

Se a palavra impedimento deixa você assustada, não se preocupe. Não é a pior.

Futebol. É uma escola de emoções. Em que outro momento você pode sair de uma depressão em questão de segundos? Por outro lado, você também pode entrar numa depressão assustadora. Mas não tenha medo. Porque sempre haverá a próxima rodada, o próximo jogo, uma segunda chance.

Futebol. No campo, no estádio, na arquibancada, no universo da bola tudo é possível. Uma espécie de “Terra do Nunca” do Peter Pan, sabe? Não há jogo perdido. A melhor estatística não ganha troféu. As diferenças vão para escanteio. Sexo, raça, cor, nível social. Esquece tudo isso.

Futebol. É a democracia de chuteiras. A vida passando em 90 minutos com todas as suas tragédias e esperanças.

Chega de papo. Por que A Linha da Bola? Por que você precisa ler esse livro? Porque ele é divertido. Aliás, divertidíssimo. Desbravador, esclarecedor e muito informativo. Um guia fácil pra quem trabalha com futebol. Uma viagem no tempo para os entendidos. E um pretinho básico pra quem quer descobrir esse esporte. Não perca A Linha da Bola! Pode começar agora!

Apresentação
Por Vanessa Riche

Em tempos de ditadura da magreza é difícil aceitar que uma gorduchinha seja o centro das atenções masculinas. Para quem vê o futebol como um inimigo, essa é a oportunidade de fazer dele um aliado.

Os homens crescem com uma cultura peculiar desse esporte; a grande maioria não tem a opção de escolha, já nasce com o escudo de um clube estampado no babador. Desde pequenos vivem as emoções de uma equipe imposta pelo pai ou por um familiar mais fanático. Acabam gostando, e muito! Do jardim de infância ao campinho do bairro, há uma disputa particular para ver quem sabe mais sobre esse assunto. Todos são um pouco técnicos e craques. Se fosse possível entrar em campo, então seria a glória!

Mas já tem tempo que esse mundinho não é exclusivo dos homens. Sempre que vou a um estádio, fico feliz com o crescente número de mulheres presentes, algumas perceberam que é o lugar ideal para encontrá-los e há aquelas que também se apaixonaram pelo esporte e acompanham seus pares. Outras decidiram entrar em campo e fazer bonito. E quando a mulher resolve investir, vira a melhor do mundo.

A Linha da Bola é uma obra aparentemente despretensiosa, pois, através de uma linguagem de fácil entendimento, desmascara um concorrente de peso das mulheres, o futebol.

Nessa primeira publicação, a autora Clara Albuquerque, com muito bom humor, detalha as regras, conta um pouco da história, apresenta os principais ídolos, times e campeonatos, aproximando a leitora desse esporte que é uma paixão nacional.

Com uma linguagem bem familiar às mulheres e exemplos muito criativos, Clara mostra que o futebol não é esse bicho-de-sete-cabeças que boa parte delas imagina. E já que é um assunto que domina as rodas masculinas, seria prudente que as mulheres não ficassem por fora.

Os leitores menos familiarizados com o esporte e sua linguagem própria, conhecida como Futebolês, vão encontrar explicações para dúvidas comuns. Sim, você finalmente vai entender o que é o tal do impedimento. Isso porque, assim como organizamos as roupas no armário para usá-las de acordo com a ocasião e a necessidade, Clara apresenta cada assunto em três níveis de profundidade: Pretinho Básico, Esporte Fino e Passeio Completo.

Com as dicas do Pretinho Básico você não vai mais passar vergonha, porque elas tratam da essência do esporte.

O Esporte Fino é para causar boa impressão; nessa parte, o assunto é um pouco mais detalhado, e mulher adora um detalhezinho!

Mas se você quer fazer um estilo mais extravagante, então vá direto ao Passeio Completo e arrase com detalhes, informações e curiosidades que surpreenderão os técnicos de plantão.
Tenho certeza de que você vai ser fisgada por essa paixão que nunca envelhece e só se dará conta quando estiver gritando pela entrada de um jogador em campo ou desesperada com um gol perdido.

Escolha o seu salto mais alto e vamos contra-atacar!

Sobre Clara Albuquerque:
É baiana, tem 30 anos, formada em jornalismo pela UFBA e apaixonada por futebol. Já morou nos Estados Unidos, Espanha e França.  Mantem o blog “Ora Bolas”, que pode ser acessado neste link www.claraalbuquerque.com.br

3 comentários:

  1. Oi André, obrigada pelo carinho! E tem outro livro sobre futebol no forno com lançamento previsto para janeiro, hein?! bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Andre querido.
    A linha da bola é a linha da delicadeza feminina.
    Adorei!
    Beijo.

    ResponderExcluir