domingo, 15 de julho de 2012

Jogos memoráveis


Um tipo de livro que deveria ser produzido com maior frequência na literatura esportiva é este que os autores Alexandre Mesquita, Jefferson Almeida e Eugênio Leal estão lançando nesta segunda, dia 16/07, na livraria Travessa, no Rio de Janeiro.

“Jogos memoráveis do Vasco” é mais um lançamento da editora Iventura. O livro traz 30 histórias sobre jogos inesquecíveis do clube carioca em toda sua existência. Cada autor ficou responsável pela produção de 10 jogos. Não se trata apenas de resenhas de jogos, mas uma pesquisa aprofundada incluindo o contexto em que esses jogos foram realizados em diversas épocas.

Dois dos autores já carregam antecedentes que comprovam a qualidade da pesquisa da obra. Alexandre Mesquita e Jefferson Almeida são autores de outros livros excelentes sobre a história do Vasco e clubes brasileiros: “Um expresso chamado vitória”, “Almanaque dos velhos brasileiros” e “Clássico Vovô”. Ambos ainda são blogueiros de primeira. Vale a visita no http://www.torcidabrazuca.com.br/.

Confira a sinopse da obra que tem prefácio do jornalista Lédio Carmona e orelha de Fábio Azevedo:

“Prepare-se para participar de uma deliciosa jornada pelos jogos que marcaram época na história do “Gigante da Colina”. Fonte de conhecimento e consulta para os amantes do futebol e de deleite para os apaixonados pelo clube de coração, o livro “Jogos Memoráveis do Vasco” descreve 30 partidas inesquecíveis do Club de Regatas Vasco da Gama. Baseada em um denso e cuidadoso trabalho de pesquisa, a obra nos brinda com passagens emocionantes que enchem de orgulho o torcedor. A viagem do leitor tem início com a conquista do primeiro título carioca vascaíno em 1923, passa pelos anos de ouro do fantástico time que ficou conhecido como “Expresso da Vitória”, avança por outras partidas importantes da trajetória vascaína e termina com o título da Copa do Brasil de 2011”.

Gol de Romário na Mercosul
Os tais “Jogos memoráveis do Vasco” são partidas inesquecíveis para qualquer vascaíno e que entraram para a história do futebol brasileiro. Uma delas é Vasco e Palmeiras, jogo final da Copa Mercosul de 2.000 e acabou com o placar de 4 a 3. Uma virada histórica do Vasco que perdia por 3 a 0 ao final do primeiro tempo do jogo. Buscou o empate e aos 48 do segundo tempo conseguiu virar o jogo.


Entre tantos “jogos memoráveis” há também a goleada do Vasco por 5 a 2 contra o Flamengo, em 1940. Naquele dia, o Vasco completava 51 anos de vida. Perdia por 2 a 0 com 6 minutos de jogo e fez a virada histórica. O Vasco acabou campeão carioca invicto naquela temporada.

O gol histórico de Cocada (sem camisa)
Outro jogo memorável que acabou criando um personagem inesquecível foi Vasco 1 a 0 contra o Flamengo. 

Quem não se lembra, vascaíno ou não, do gol de Cocada que entrou aos 42 do segundo tempo do jogo, fez o gol da vitória aos 43, e acabou expulso aos 44? 

Cocada chegou a afirmar sobre esses poucos minutos de glória que seria “lembrado eternamente”. Pura verdade.


E outro jogo memorável foi o título de campeão brasileiro de 2001 contra o São Caetano, a famigerada “Copa João Havelange”. O jogo decisivo acabou 3 a 1, o último jogo de Juninho Pernambucano com a camisa do Vasco.

Tragédia em São Januário.
Apesar do tetracampeonato brasileiro, o que entrou para a história foi o jogo anterior que acabou em tragédia e suspenso pelo próprio governador do Rio de Janeiro na época, Anthony Garotinho. 

Era o dia 30 de dezembro e São Januário não suportou a superlotação. 

Após briga entre torcedores, o alambrado caiu deixando dezenas de feridos.

Sobre os autores:
Alexandre e Jefferson
Alexandre Mesquita nasceu em 1970 e frequenta estádios desde os 4 anos. Desde 1997 realiza pesquisas sobre o tema futebol. Já escreveu três livros: "Clássico Vovô", "Um Expresso Chamado Vitória" e "Almanaque dos Velhos Brasileirões".

Jefferson Almeida nasceu em 1973 e formou-se em Jornalismo na PUC-RJ. Já atuou como repórter de campo e como colaborador de alguns programas esportivos. É colecionador, pesquisador e autor dos livros "Clássico Vovô", "Um Expresso Chamado Vitória" e "Almanaque dos Velhos Brasileirões". 

Eugenio Leal é Jornalista, radialista esportivo, ritmista e compositor da escola São Clemente. Há 14 anos trabalha na “Super Rádio Tupi”.

Um comentário:

  1. Jonas Barreto19:04

    O livro é realmente ótimo. Comprei e li de uma vez. Valeu pela dica.
    Jonas Barreto

    ResponderExcluir