sábado, 10 de março de 2012

Magic Paula: talento inesquecível



Ela já faz parte do clube das cinqüentonas. Paula, a Magic Paula, uma das maiores jogadoras na história do basquete mundial completa 52 anos, no dia 11 de março de 2014.  Da pequena e pacata Oswaldo Cruz, no interior de São Paulo ela saiu para ganhar o mundo. E não houve passe de mágica como o adjetivo que recebeu após consagrar-se nas quadras do mundo inteiro, houve luta, inspiração e talento.


Tudo é muito rápido na vida de um atleta. Com Paula foi muito mais rápido ainda. Ela foi convocada para jogar pela seleção brasileira pela primeira vez quando tinha apenas 14 anos.

 E não era a seleção de sua faixa etária, mas a seleção principal, formada por adultos.

Paula deixou as quadras após 28 anos dedicados à seleção brasileira, no ano 2.000. E desde que sua geração parou de jogar, o basquete feminino brasileiro nunca mais foi o mesmo.


Para os que gostam de recordar, Paula participou de momentos extraordinários do basquete, como a conquista do Pan-Americano, em Havana, no ano de 1991 derrotando as fortes seleções de Cuba e Estados Unidos.

                                     Fidel se rende a magia de Paula e Cia.

Três anos depois, em 1994, Paula e suas companheiras entrariam para a história do esporte brasileiro ao conquistar o Mundial de basquete, disputado na Austrália. Um título que poucos viram e acabou praticamente abafado no país por conta que a seleção de futebol disputava e ganhava o tetra, nos Estados Unidos.

                                     O título mundial de 1994
Em Jogos Olímpicos ela guarda em sua enorme coleção de títulos a medalha de prata na Olimpíada de 1996, em Atlanta. Diferente em tudo que sempre fez na carreira profissional, quando parou, estudou bastante para poder continuar a ajudar o esporte brasileiro fora das quadras.


Criou seu próprio Instituto, “Passe de Magica”, faz palestras pelo país, está sempre no centro das discussões importantes para o futuro do esporte no Brasil. Atualmente ela é gestora do projeto de Esporte de Rendimento, do Programa Petrobras Esporte e Cidadania. Magic Paula coordena agora um projeto visando os novos talentos do esporte brasileiro que podem representar o país nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Não será neste pequeno espaço que conseguiríamos enumerar as infindáveis conquistas de Paula no basquete brasileiro, por isso, Literatura na Arquibancada recomenda a você leitor, conhecer o site da atleta http://www.magicpaula.com.br/.

Quando decidiu parar definitivamente com o esporte, Paula recebeu do poeta maior do esporte brasileiro, o jornalista e escritor Armando Nogueira, uma verdadeira declaração de amor...Um texto que ela mesmo fez questão de declarar quando o jornalista faleceu que o guardava emoldurado em sua casa...

Sexto sentido da bola

Armando Nogueira


"Primeiro, foi a Hortência, de tantas cestas perfumadas. Agora, é Paula, Maria Paula, das mãos adivinhas. É uma saudade a mais. Porém, saudade que não dói. Zero de melancolia. Hortência, ontem, Paula, agora, ambas encarnam um passado glorioso do esporte brasileiro. E assim seguirão, pelo tempo, futuro afora, canonizadas, idolatradas.

Não choraremos o adeus de Paula porque não é o fim de um caminho. É apenas o termo de um ciclo numa existência perpetuada na gratidão de todos nós. Viveremos, sempre, o passado indizível de Paula, numa quadra de basquete. 

Paula, das mãos que inventam cintilações. Das mãos que adivinhavam os caprichos da bola. Das mãos que regiam o jogo como se o basquete fosse um balé. (Alguém dirá que não é?).



Paula, Maria Paula, musa de meus devaneios esportivos. 

É hora de renovar um pergunta que tantas vezes te fiz sem que jamais tivesse resposta: afinal, de onde vem a aura que purifica os dedos de tuas mãos, quando lanças uma bola de três pontos? 

Quem te concedeu a graça de enfeitiçar a bola? 

E teus gestos, de que matéria luminosa vem tamanha majestade?


Obrigado, Paula, pelo dom com que fintavas a própria gravidade, alternando ritmos, criando e recriando espaços impressentidos, na árdua travessia de uma quadra.

Bailarina do jogo, a inventar irretocáveis coreografias no palco de infinitas fulgurações. Sexto sentido da bola que sobe, radiosa, pra culminar florescida, triunfal, na castidade de uma cesta.

Beijo tuas cestas, Paula, pela ventura de poder beijar-te as mãos."


Pena que o único livro escrito sobre a vida de Magic Paula seja muito difícil de ser encontrado, a não ser em raríssimos sebos, perdidos em alguma estante empoeirada. 

Pena também porque, apesar de importante, Paula mereceria uma biografia muito mais aprofundada, ou no mínimo a reedição desta obra. 

Como documento histórico, o livro “Magic Paula, a trajetória de uma campeã” (Editora Unimep, 1995) escrita por Cecílio Elias Neto, cumpre sua missão na literatura esportiva brasileira.


Em 2008, Paula também virou personagem da coleção “pequenos craques”, da editora Callis, que retrata a infância de grandes esportistas brasileiros e conta curiosos episódios sobre o caminho de cada um deles até o pódio. 

O livro de Paola Gentile é saboroso, especialmente para os “baixinhos”.

Para atletas como Magic Paula tudo será sempre pouco, então, que venham outros, pois a cinquentona Paula, merece tudo isso e muito mais. 

2 comentários:

  1. Primeiramente, Parabéns! Por sua iniciativa em escrever esse post sobre uma verdadeira campeã do esporte brasileiro na minha singela opinião deveria ser mais reconhecida ainda. Foi exatamente nesse dia final do Pan de Cuba em 1991 que passei a amar e admirar a Paula e o Basquete depois disso virei fã incondicional e fiz como todo fã faz colecionei revistas, jornais,assistia a todos os jogos possíveis, reportagens, entrei para um fã-clube enfim fiz de tudo pra conhecer e ficar mais próximo da minha "ídola", somente em 28 de abril de 1998 uma terça-feira, tive a felicidade incomensurável de conhecê-la pessoalmente foi uma emoção sem tamanho e não me decepcionei ela é um doce de pessoa, extremamente humana e educada, como "prêmio", na verdade considero mais um presente uma foto com ela Magic Paula na primeira página do jornal de maior circulação da minha cidade Fortaleza no Ceará, o engraçado é que nem sei dizer como isso aconteceu um momento muito especial pra mim até hoje tenho o recorte do jornal.

    Obrigada! e Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Paula é mil vezes MIL!
    Você é DEZ.
    Você sabe que sou sua fã. rsrs
    Beijo.

    ResponderExcluir