domingo, 26 de fevereiro de 2012

O zagueiro escritor


Utilizando o jargão que os boleiros costumam citar em suas entrevistas, ele é um jogador “diferenciado”. Paulo André, zagueiro corintiano ganhou fama no futebol, nem tanto por seus atributos como jogador, mas pelo fato de ser diferente da grande maioria. Gosta de pintar, jogar xadrez, freqüenta teatro, cinema, gosta de ler, enfim, tem uma vida cultural completamente atípica das estrelas do futebol brasileiro, especialmente daquelas que jogam, como ele, em um clube de massa como é o Corinthians.

No final do ano passado, Paulo André já havia demonstrado sua ousadia no mundo das artes pintando uma tela gigante, no Centro de Treinamento do Corinthians. 

O fato repercutiu em todo o país. Um jogador de futebol pintando um quadro? Mas Paulo André já explicou que essa paixão é antiga. Aconteceu quando jogou na França, pelo clube Le Mans.

O zagueiro não parou por aí no mundo das artes e da cultura. Agora ele virou autor de um livro que será lançado nesta semana em São Paulo. O gosto pela leitura, ele explica:
“Gostei muito do livro ‘O Homem que matou Getúlio Vargas’, do Jô Soares. Abriu as portas da leitura para mim. Agora estou lendo a biografia do Schopenhauer [filósofo alemão Arthur Schopenhauer]. Gosto também de CDs e DVDs, como Norah Jones e Jack Johnson.“(site www.uol.com.br)

Sobre o livro de Paulo André, infelizmente, ainda não podemos comentar, pois a Editora Leya ainda não disponibilizou uma resenha sobre o mesmo em seu site oficial. Mas lendo aqui e ali, sabe-se que a obra resgata a história da conquista do título brasileiro do Corinthians, no ano passado e, evidentemente, a participação dele como personagem do jogo histórico na vida dele e do clube.

A obra contém depoimentos de amigos do jogador como Ronaldo Fenômeno e o apresentador da Rede Globo, Tiago Leifert. Sabe-se também que no livro Paulo André se posiciona claramente sobre uma questão polêmica no futebol: as concentrações. Segundo ele afirma, um jogador chega a passar até cinco meses inteiros por ano preso em concentrações:

Pegue 22 espécimes, coloque-os numa jaula em algum hotel de luxo. Dê comida de quatro a cinco vezes ao dia, controle os horários. Se quiserem dormir, tudo bem. Ah, importante: não deixe nenhuma fêmea se misturar ao bando, caso contrário pode haver uma explosão demográfica em nove meses e prejudicar o ecossistema. Durante a noite, mantenha turnos de vigia, já que eles vão tentar fugir. 

No dia seguinte, coloque o rebanho num ônibus e leve à arena, sem garantia nenhuma de que vai dar tudo certo. Não estamos falando de rodeio, nem de feira de gado. É a concentração de futebol. Dá para criar um monte de coisa em cativeiro, mas talento não é uma delas. Abaixo a concentração”.

Paulo André é realmente diferente. Jogadores de futebol normalmente são avessos as redes sociais e ao mundo da internet, até mesmo por recomendações de empresários e dos dirigentes de clubes. Paulo André não quer saber. Tem site, blog e é twiteiro. Seu site está no endereço http://www.pauloandreoficial.com.br/blog/public_html/blog.php?post=64.

Então, para você, corintiano que mora em São Paulo, um bom programa na próxima quinta-feira, dia 1º de março é prestigiar o lançamento do livro de Paulo André. Confira:

Serviço
"O jogo da minha vida", de Paulo André
Dia: 01/03/2012
Horário: a partir das 19h.
Local: Saraiva MegaStore - Shopping Pátio Paulista
Avenida Treze de Maio, 1947, Piso Paraíso

Sobre Paulo André
Nascido em 20 de Agosto de 1983, Paulo André Cren Benini iniciou sua carreira como infantil do São Paulo Futebol Clube (São Paulo, SP), em 1998, onde permaneceu até 2001, conquistando dois títulos paulistas de categoria de base (2000 e 2001). Em dezembro de 2001, foi transferido para o Centro Sportivo Alagoano (Maceió, Alagoas), ficando por apenas três meses.
Em março de 2002, Paulo André voltou para o estado de São Paulo, desta vez para atuar no Águas de Lindóia Esporte Clube (Águas de Lindóia, SP). Lá, foi campeão paulista de juniores da Série A-2 e teve sua primeira chance como profissional, ajudando o clube a subir da quinta para a quarta divisão estadual. Em janeiro de 2003, transferiu-se para os juniores do Guarani Futebol Clube (Campinas, SP), onde foi promovido aos profissionais. Em julho de 2004, sofreu com uma contusão no púbis, que o deixou afastado por seis meses. 
Em junho de 2005, Paulo André foi transferido para o Clube Atlético Paranaense (Curitiba, Paraná) onde foi consagrado como um dos cinco melhores zagueiros do Brasil, pela Revista Placar. Em 2006, recebeu o título de Melhor Zagueiro do Estado, pela Federação Paranaense de Futebol. 
Aos 22 anos, em junho de 2006, o atleta firmou contrato de quatro anos com o Le Mans Football Club (Le Mans, França), onde participou por três anos dos campeonatos: Francês, Copa da França e Copa da Liga. Em julho de 2009, Paulo André foi apresentado como nova contratação do Sport Club Corinthians Paulista (São Paulo, SP), em um empréstimo que iria até agosto de 2010. Mesmo atuando como reserva, o zagueiro destacou-se nas jogadas aéreas, marcou três gols, e teve seus direitos econômicos comprados pelo time paulista, firmando novo contrato que vai até julho de 2012.
(fonte: site oficial do jogador-escritor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário