sábado, 21 de janeiro de 2012

Diamante Eterno

Mais uma efeméride de um craque inesquecível, eterno...No dia 24 de janeiro todo brasileiro deveria reverenciar a história de Leônidas da Silva, um ídolo do futebol brasileiro nas décadas de 1930 e 1940, responsável pela projeção definitiva do nosso futebol no contexto mundial.

Leônidas foi precursor do marketing esportivo.
Pela primeira vez, um jogador emprestava sua
popularidade para a mais variada linha de produtos.
Quem quisesse vender algo no seu tempo, bastava usar
o seu nome, de cigarro, a chocolate, goiabada e marca de relógio.
Para os menos informados, ele era "chocolate que virou homem", quando na verdade, ele é "o homem que virou chocolate". Leônidas da Silva, o Diamante Negro, marca de um dos chocolates mais vendidos do país até hoje, ganhou o apelido na Copa Rio Branco de 1932, no Uruguai. Mas foi no retorno da Copa de 1938, que a fábrica de chocolates Lacta resolveu batizar um de seus chocolates com o apelido do jogador mais famoso do país, artilheiro e melhor jogador da Copa de 1938 quando o Brasil ficou em 3º lugar.

Outro mito também criado em torno de sua história é a de que teria sido ele o "inventor" da jogada bicicleta, mas é o próprio Leônidas quem desmente essa informação em depoimento gravado para um programa de esportes da TV Cultura.

Esse e outros trechos de seu depoimento raro fazem parte do documentário "Diamante Negro - O homem que venceu o tempo" produzido por esse que vos escreve, André Ribeiro.

O documentário foi inspirado na biografia que escrevi sobre Leônidas da Silva, em 1999 (Diamante Eterno, Gryphus, 1999) e reeditado pela Cia dos Livros com o título "Diamante Negro".

Literatura na Arquibancada apresenta abaixo o documentário que foi exibido apenas uma única vez, em uma tarde de domingo pela TV Cultura. Depois, o programa Grandes Momentos do Esporte conseguiu junto a produtora que detém os direitos do documentário, a Bossa Nova Films a permissão para sua reexibição.


Ou seja, uma ótima oportunidade de conferir a trajetória desse craque do futebol mundial.


Leônidas era tão famoso na década de 1930 que dizia-se
existir no Brasil três homens importantes: Leônidas, o Diamante Negro;
Orlando Silva, o cantor das multidões; e Getúlio Vargas (na foto, a direita)
presidente do Brasil.






Nem mesmo eu, realizador do documentário, sabia da existência de uma cópia disponibilizada na internet. Em tempos de "contestações" mundiais pela pirataria praticada na internet, ter o filme sobre Leônidas disponível para todos verem, acaba sendo um "bem histórico", pois a história de sua vida merece ser vista pelo maior número de pessoas possível.

O trio de ouro, três reis do futebol brasileiro:
Leônidas da Silva, Friedenreich e Pelé.
Vale a pena assistir ao filme que contou ainda com a edição do amigo Pichi Martirani e o texto e voz precisas de Vladir Lemos...

Logo no começo do filme, uma joia rara: a participação especial do ator Milton Gonçalves, flamenguista roxo e fã declarado de Leônidas, interpretando um texto emocionante. Vale lembrar que nas versões encontradas na internet postadas pelo Youtube esse trecho não aparece, por essa razão, pedimos a gentileza de você, leitor, acessar os links abaixo



Um bom programa para um sabadão, como hoje. Boa sessão.








2 comentários:

  1. André, esse filme está disponível em DVD? Onde posso encontrar para adquiri-lo?

    ResponderExcluir
  2. Olá Eduardo. Infelizmente não. Mas recomendo a você ligar para a TV CULTURA, pois acredito que eles poderiam disponibilizar uma cópia. Tente falar no departamento de Pesquisa, com Beth ou Adriano. Pode falar em meu nome.

    abs

    André Ribeiro

    ResponderExcluir