terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O bigode de Peu


Há exatos 30 anos o Flamengo conquistava o título do Mundial Interclubes. 13 de Dezembro, um dia que entrou para a história da maior torcida brasileira. Recentemente, o jornalista Dudu Monsanto, dos canais ESPN, lançou o seu “1981 – O ano rubro-negro” (Panda Books, SP, 2011).

Literatura na Arquibancada esteve presente ao lançamento. O livro é sensacional, repleto de histórias e causos narrados pelos protagonistas daquela façanha.

Uma pequena pérola, extraída das páginas do livro, revela um personagem que os jogadores adoravam “alugar”: o alagoano Júlio dos Santos Ângelo, o popular, Peu. Para relaxar o clima de tensão durante a viagem à Tóquio, os jogadores aprontaram poucas e boas com o companheiro de equipe, que para completar as sacanagens, era gago.

Quem conta o episódio é o próprio Peu:

A história famosa do bigode foi uma armação do Zico mais o Júnior. Quando já estava quase chegando ao Japão, veio o anúncio: ‘Jogador Peu, compareça à cabine do avião’. Quando eu chego na cabine, o comandante falou pra mim todo sério: ‘Olha Peu, você tem que tirar o seu bigode porque o seu nome não tá na lista de quem tem bigode. Ou você tira, ou você volta comigo’. Pô, fiquei o ano todinho batalhando, treinando tanto e agora, na hora boa, eu vou estar fora, é? Ele falou: ‘Toma aqui, Peu. Barbeador, cremezinho, vá no banheiro e tire. Senão, você chega lá e volta’. Aí eu saí de lá todo triste, cabisbaixo, entrei no banheiro, tirei o bigode. Aí, quando eu abri a porta, tava todo mundo me esperando. Rede Globo, os fotógrafos de O Globo, O Dia, os jogadores. Os caras fizeram a festa. Armaram legal, eu caí e tirei o meu bigode!


Nenhum comentário:

Postar um comentário