quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O poeta-barbeiro e o futebol


Eulajose Dias de Araújo é um dos grandes nomes da literatura paraibana. Poeta, ficou famoso também pelo apelido de “poeta-barbeiro”, pois ele e o irmão eram conhecidos em João Pessoa pela barbearia que mantinham na cidade.

Sua obra é extensa, poemas belíssimos, mas Eulajose deixou em versos – como não poderia ser de outra forma –, a razão para não parar de escrever poemas: “Não me conformo\em fazer uma\só poesia\por dia. Só me conformo\fazendo uma poemaria\nunca me conformaria\com uma poesia,\só uma poemaria”.

Eulajose também deixou uma preciosidade em versos sobre o futebol, antes de sua morte em 1988.
Para saber mais sobre Eulajose, Literatura na Arquibancada sugere a leitura de “Dilúvio de palavras – Antologia poética dos cinqüenta anos” (Editora A União, 1985)



PALAVRASBOLAS


As palavras não são
bolas de futebol,
mas eu jogo com
as palavras como
se bolas elas fossem….



Futebolescas as palavras
se tornam bolas
para todos os acertos
de concordância ou sintaxe,
gramática jogando
com matemática quase.



Gol de pensamento
são as palavras no tempo,
ou no tempo de tempo,
ou no tempo de tempo,
são as palavras:



palavrasbolas paraboladas
jogando palavreadas


Nenhum comentário:

Postar um comentário